Novidades no Minha Casa, Minha Vida 2024: Mais faixas de renda e benefícios!

Por: Informe Social - Notícias, Emprego, Programas Sociais e Economia

Visando incrementar o acesso à moradia digna, o Minha Casa, Minha Vida passou por atualizações. 

Essas mudanças visam não apenas melhorar as condições de habitação, mas também assegurar que mais famílias possam beneficiar-se de tais oportunidades, especialmente aquelas lideradas por mulheres ou que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Inicialmente criado para atenuar o déficit habitacional, o programa ajustou-se às necessidades da população. 

Neste sentido, a resposta do programa às tragédias naturais é particularmente notável, estendendo o suporte prioritário às vítimas desses eventos devastadores, como o recente caso de enchentes no Rio Grande do Sul.

O que mudou no Minha Casa, Minha Vida em 2024?

O governo reinaugurou o MCMV com consideráveis alterações, destacando-se o aumento dos limites de renda e preço dos imóveis. 

Agora, famílias com renda mensal de até R$ 8 mil podem candidatar-se ao programa, e o preço máximo dos imóveis foi elevado para R$ 350 mil. 

Quem tem prioridade no novo esquema do programa?

Famílias lideradas por mulheres, pessoas com deficiência, idosos, famílias com crianças ou adolescentes, pessoas em situação de rua ou de risco e vítimas de desastres naturais

Como as faixas de renda foram reorganizadas?

Dentro da estrutura atualizada do programa, as faixas de renda foram minuciosamente categorizadas para atender diferentes grupos econômicos do país. 

Veja como ficaram organizadas: Faixa Urbano 1 – Renda familiar mensal até R$ 2.640; Faixa Urbano 2 – Renda familiar mensal entre R$ 2.640,01 e R$ 4.400.

Faixa Urbano 3 – Renda familiar mensal entre R$ 4.400,01 e R$ 8.000; Faixa Rural 1 – Renda familiar anual até R$ 31.680.

Faixa Rural 2 – Renda familiar anual entre R$ 31.680,01 e R$ 52.800; Faixa Rural 3 – Renda familiar anual entre R$ 52.800,01 e R$ 96.000.

É importante notar que benefícios temporários, assistenciais ou previdenciários, como o seguro-desemprego ou Bolsa Família, não são contabilizados nestes limites de renda.

O Minha Casa, Minha Vida em sua versão atualizada, não só continua a ser um pilar fundamental da política habitacional, como também reforça seu compromisso com a inclusão social, em face dos desafios atuais.

visite nosso site