NotíciasProgramas sociais

FGTS + Bolsa Família + PIS pode ser sacado HOJE (20) no Caixa Tem

O governo federal, em resposta às devastadoras chuvas e enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul, anunciou uma série de medidas visando atender às necessidades emergenciais das famílias afetadas. Com um saldo de 149 vítimas fatais e mais de 617 mil desabrigados até o momento, a situação demanda uma ação rápida e abrangente para reduzir os impactos causados por esse desastre natural.

Um auxílio no valor de R$ 5,1 mil será disponibilizado para a compra de móveis e eletrodomésticos, visando ajudar as famílias a reconstruírem suas residências e restabelecerem um mínimo de conforto em meio à adversidade. O dinheiro será transferido pela Caixa Econômica Federal via Pix, simplificando o acesso ao benefício.

Os moradores das áreas atingidas, onde foi declarado estado de calamidade ou emergência, poderão sacar até R$ 6.220 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Além disso, a obrigatoriedade do intervalo de um ano entre os saques foi suspensa, possibilitando que aqueles afetados por desastres recentes também tenham acesso a esse recurso crucial.

Antecipação do Bolsa Família e Abono Salarial

O Bolsa Família será antecipado para os atingidos pela tragédia, com o pagamento previsto já para 17 de maio, garantindo um suporte financeiro imediato para as famílias mais vulneráveis. Além disso, outras 21 mil famílias que preencham os requisitos do programa serão incluídas na folha de pagamento de junho, ampliando o alcance desse importante benefício social.

O pagamento do abono salarial de 2024 será antecipado para maio, beneficiando os trabalhadores que tenham direito a esse auxílio.

O governo federal se comprometeu a adquirir casas nas regiões afetadas para realocar as famílias que perderam suas residências devido às enchentes. Essa iniciativa visa garantir que todas as famílias tenham um lar digno e seguro, utilizando recursos do programa Minha Casa, Minha Vida e outras fontes disponíveis.

Financiamento Habitacional

Para auxiliar aqueles que já possuem residências adquiridas pelo programa Minha Casa, Minha Vida ou financiadas pelo FGTS, o governo anunciou a suspensão das parcelas mensais por seis meses.

Além disso, o prazo para uso do FGTS para pagar parcelas atrasadas foi ampliado de 6 para 12 meses, proporcionando um alívio financeiro adicional para os beneficiários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo